Retrospectiva

Retrospectiva 2019: Roland Garros teve volta de Federer, Barty brilhando e Nadal no topo

Grand Slam francês contou com o 12º título de Nadal


Foto: Charles Platiau

O segundo Grand Slam do ano foi repleto de emoção. Um dos torneios mais charmosos do tênis, Roland Garros teve Rafael Nadal campeão pela 12ª vez na carreira enquanto a jovem Ashleigh Barty levantava seu primeiro título no torneio.

Leia mais
+ Retrospectiva 2019: Australian Open viu consagração de Osaka e Djokovic impecável
+ Meligeni vence Wild de virada e conquista vaga na chave principal do Rio Open 2020

Fato importante no saibro sagrado foi à volta de Roger Federer a Paris. O suíço decidiu voltar a disputar competições no piso de terra batida depois de anos fora. Recordista de títulos de Grand Slam entre os homens, ele buscava apenas seu segundo troféu de Major na França após conquista única em 2009. Se acostumando novamente com a disputa, o suíço jogou bem nas duas primeiras rodadas e teve boa atuação na terceira, quando venceu o norueguês Casper Ruud.

Nas quartas de finais, Roger mediu força com Stan Wawrinka. O compatriota havia enumerado vitórias emocionantes contra Grigor Dimitrov - vencida em nível alto de tênis após três tie-breaks -, e Stefanos Tsitsipas. O jovem grego dificultou a vida do campeão do Aberto de Paris em 2015, mas viu a experiência do rival ser a chave para fechar o placar no quinto set em um dos melhores jogos do ano. O confronto entre dois dos grandes nomes da história do tênis da Suíça acabou com vitória de Federer, para aplausos da torcida.

De passo em passo, Federer chegou à semifinal. Lá, ele enfrentou justamente seu mais icônico rival, o Rei do Saibro Nadal. Antes disso, Rafa havia passado por rodadas tranquilas e vencido nomes como o do belga David Goffin, que o tirou um set. No jogo que valia vaga na decisão do torneio, os dois lendários tenistas batalharam entre si em uma disputa marcada pelo forte vento na capital francesa. Melhor para o maiorquino, que venceu e marcou seu nome na finalíssima.

Do outro lado da chave, Dominic Thiem enfrentou contra Novak Djokovic, Os dois protagonizaram um jogo digno de espetáculo. A disputa foi eletrizante e equilibrada do começo ao fim e teve o austríaco como ganhador apenas no quinto set.

Assim, novamente Thiem teria a chance de duelar com Nadal na decisão de Roland Garros. Com potência e grande consistência, o espanhol ficou com o troféu após boa vitória por 6/3 5/7 6/1 6/1, sacramentando mais uma vez seu papel como maior campeão da história do Grand Slam.

Rafael Nadal Roland Garros

Foto: Roland Garros

Barty coroa momento de ouro

Ashleigh Barty fechou a temporada 2019 como número #1 do mundo. Dona de pouca estatura, mas muito talento, ela mostrou que mesmo não sendo a jogadora com os golpes mais potentes ela poderia sim conquistar um Major e assim o fez no saibro francês.

Barty enfrentou americanas nas duas primeiras rodadas. Na estreia, a australiana venceu Jessica Pegula por 2x0 e também por sets diretos superou Danielle Collins na sequência. Após um jogo contra a alemã Andre Petjovic marcado por mais uma vitória tranquila, ela superou as norte-americanas Sofia Kenin, Madison Keys e Amanda Anisimova e selou seu nome na decisão.

Enquanto via as principais zebras aconteceram na terceira rodada, quando quatro favoritas (Naomi Osaka, Serena Williams, Karolina Pliskova e Elina Svitolina) foram eliminadas, o povo francês viu a força de Markéta Vondroušová aparecer. Ela passou por nomes como Anastasija Sevastova, Petra Martic e Johanna Konta e foi à sua primeira final de Grand Slam.

Na decisão, Barty mostrou de uma vez por todas que estava pronta para anotar seu nome nos livros da história do tênis. Em bom jogo, ela derrotou Vondrousova por 6/1 6/3 e garantiu o título.

Ashleigh Barty Roland Garros

Foto: Roland Garros

Da redação

Publicado em 2 de Dezembro de 2019 às 19:39


Notícias Retrospectiva Rafael Nadal Ashleigh Barty Roland Garros