Revista TÊNIS

10 Melhores dicas de Nick Bollettieri

Você tem uma fraqueza evidente em seu jogo? Todo tenista tem. Aqui estão algumas das mais flagrantes e as soluções que vão elevar o seu nível de jogo

Nick Bollettieri em 16 de Novembro de 2011 às 09:31

Foto: Ron C. Angle/TPL
Segundo as estatísticas da ATP, Federer é o tenista que mais venceu pontos com o segundo saque na carreira


1 SEGUNDO SERVIÇO

O segundo serviço machuca os amadores mais que qualquer outro golpe. Muitas vezes, eles podem encaixar um bom primeiro saque, daqueles que os fazem ganhar pontos facilmente, ou pelo menos dá-lhes tempo para configurar a próxima jogada. E então vem o segundo saque, lentamente sobre a rede, esperando para ser destruído. Quanto menos profissional você é, maior a diferença entre seu primeiro e segundo serviço. A primeira coisa que você precisa fazer para melhorar seu jogo é diminuir essa diferença. Não será fácil e requer não apenas muita prática, mas também muita frustração e desapontamento durante as partidas. Uma coisa é melhorar seu segundo saque em uma quadra de treino, outra é ter con ança para usá-lo em jogo. É difícil, mas vale o investimento. Indico dois drills que o colocarão na direção certa.

 

 

DICAS RÁPIDAS
1. Se você quer ter um segundo saque bom, com alguma potência e spin, precisará melhorar a rotação de ombros. Peço para os meus alunos ficarem de frente para a rede e então exagerar o giro de ombros. Se eles não girarem o suficiente, a bola irá para baixo e para a esquerda (para um atleta destro).

2. Tem dificuldade com o saque quique? Muitos tenistas têm problemas para aprender a bater a bola para cima. Uma das melhores maneiras de entender isso é ajoelhando-se. Para mandar a bola por cima da rede, você precisa bater para cima e também fazer um movimento rápido. Você sentirá o spin imediatamente.


Nadal sempre soube usar bem o tempo entre os pontos para administrar a ansiedade. Muitas vezes, contudo, o espanhol chegou até a exagerar, levando advertências


2 VÁ DEVAGAR

Por favor. Não se apresse. Não há nenhum limite de tempo no tênis, exceto aquele de 20 segundos entre os pontos, quando você está sacando. Há muito tempo. Portanto, não tenha medo de usá-lo. Quando as coisas vão mal, os jogadores tendem se apressar, em vez de terem calma. Isso só piora as coisas. A melhor forma de lidar com isso é virar as costas para a quadra e tirar os olhos do seu oponente e da rede por alguns segundos. Respire. Relaxe. Lembre-se de manter uma empunhadura relaxada na raquete. Diminua a marcha de seu adversário (dentro da razão) e se concentre em manter a bola em jogo em algumas trocas de bola. Há sempre um tempo para reviravoltas no tênis, a menos que você seja impaciente.

 

Fotos: Ron C. Angle/TPL Djokovic assumiu o topo assim que aprendeu a “deixar o passado para trás” e jogar ponto a ponto


3 FIQUE RELAXADO

Ter uma ótima técnica é uma coisa ótima. Se você tem um trabalho de pernas fantástico e simples, golpes suaves, você pode se dar bem em qualquer partida. Mas não há melhor maneira de atrapalhar sua técnica do que pensar sobre ela durante um jogo. Quando está disputando pontos, você precisa pensar no posicionamento da bola, tática, os pontos positivos e negativos de seu adversário, e como você pode derrotá-lo. Um jogo não é um bom momento para bater na bola muito à frente do corpo ou encurtar a preparação do golpe. Deixe essas coisas para os treinamentos e preocupe-se mais em melhorar suas habilidades para situações reais de jogo.

 Murray é expert em apenas “passar bolas para o outro lado da quadra” em momentos complicados


4 GANHE TEMPO

Você está fora de posição e seu adversário acerta um bom golpe. Há poucos segundos, você estava controlando o ponto, mas agora talvez o perca, e rapidamente, a não ser que você faça algo. Então você vai para o tudo ou nada. E erra. Essa é uma situação comum no tênis, e o resultado quase sempre é negativo. Em vez de assumir riscos, é melhor aprender a ganhar tempo. Em seus próximos treinos, experimente bater bolas mais altas, tentando golpes com topspin na corrida. Você deve mirar para o meio da quadra e o mais próximo da linha de base possível. Essa jogada pode salvar alguns pontos em que você parece já não ter esperança de ganhar.

 


Tsonga é um dos principais voleadores da atualidade, não por sua plasti cidade, mas por sua técnica simples  

5 DOMINE SEUS VOLEIOS
Os tenistas que chegam todos os dias aos nossos centros de treinamento normalmente possuem um ou dois defeitos fatais em seus voleios. Em primeiro lugar, eles não voleiam com uma só empunhadura. Não há tempo suficiente para mudar de empunhadura quando você está próximo à rede. O jogo de fundo de quadra evoluiu muito nas duas últimas décadas de modo que você tem que ser mais rápido que nunca para ser um bom voleador. Se você perder tempo com sua empunhadura, não terá chance. A empunhadura Continental é obrigatória para um bom voleio; você precisa dominá-la. Em segundo lugar, eles não movimentam os ombros. Se você for bater um voleio com os ombros de frente para a rede, nuca poderá dar aquela chicotada em seus golpes. Três dicas irão ajudá-lo a desenvolver a empunhadura Continental para um voleio forte e compacto.

#Q#

DICAS RÁPIDAS
1.
Se você quer sentir como a empunhadura Continental atua em seus voleios de forehand e backhand, voleie com uma das mãos atrás das costas. É impossível mudar de empunhadura com só uma mão segurando a raquete, então você rapidamente aprenderá a manusear sua raquete com uma só empunhadura. Peça para que seu parceiro de treino lance a bola a uma distância curta e trabalhe em sua transição da linha de base para o voleio.

2. O quanto você precisa mover o ombro para executar um voleio de forehand? O quão compacta deve ser a preparação? Aqui vai uma forma de evoluir esses aspectos em sua técnica: mantenha a mão oposta no topo da raquete enquanto executa o voleio de forehand. Isso irá garantir que o movimento de ombro será feito de maneira correta.

3. O voleio de backhand é normalmente o mais confiável. Frequentemente, a solução mais fácil é usar as duas mãos, que irá deixá-lo com maior controle e uma preparação curta e rápida.

Fotos: Ron C. Angle/TPL Um dos golpes mais célebres de Gustavo Kuerten foi a esquerda na paralela, não tanto para definir o ponto, mas para prepará-lo

6 BACKHAND NA PARALELA
O backhand na paralela é uma jogada tentadora, e que raramente funciona em seu favor. Normalmente, os tenistas tentam executá-lo quando recebem uma bola cruzada e têm de mudar a direção da bola. Eles também tentam acertar a bola muito perto da linha, porque estão determinados a bater um winner. Ir para a definição rápida do ponto cria outro problema: uma bola baixa, que precisa sobrepor a parte mais alta da rede. O meu conselho? Pratique esse golpe batendo alto sobre a rede com bastante topspin e altura, e pense em profundidade ao invés de se focar em acertar a linha lateral da quadra na paralela. Você não precisa de um winner se pode executar um grande golpe de preparação para definir o ponto.

 


7 CONTROLE SEU EGO

Quando você enfrenta um adversário de golpes muito potentes, a intimidação toma conta. Há o medo de sentir-se envergonhado ao ser comparado ao tenista do outro lado da quadra. Eu digo, não caia na armadilha que esses jogadores costumam armar para seus oponentes. Em vez de bater mais forte, você precisa fazer seu adversário errar. Se você não consegue jogar o jogo dele, pode fazer com que ele também não possa.


8 SEJA REGULAR

Erros não forçados fazem com que partidas sejam perdidas. Não acredita? Observe as estatísticas de qualquer jogo tanto do circuito masculino quanto feminino, e veja por si mesmo. Eis uma dica para deixá-lo mais consistente: não vá para o ataque se estiver preso no fundo de quadra. Mande uma bola alta e longa na quadra de seu adversário para ter tempo de se recuperar. Então, aproxime-se da linha de base e prepare-se para o próximo golpe.


9 APRENDA A ESQUECER
Bons jogadores tem memória curta. Quando você perder um ponto ou cometer um erro não forçado, apague isso imediatamente da cabeça. Em vez de reagir mal ao resultado de um ponto ou um golpe, diga para si mesmo: “Será que eu mantive meu plano de jogo?” Se você puder responder sim, não se preocupe com o resultado. E se você precisa se lembrar de alguma coisa, pense naquele dia em que deu tudo certo em quadra. Provavelmente você não estava pensando demais naquele dia. Então, por que começar agora?


10 SEJA HONESTO
Eu me preocupo quando meus alunos confundem ambição com impaciência. Impaciência é uma barreira para a melhora. Se você quer desenvolver um grande saque quique, isso é ótimo. Mas é melhor que o processo seja feito por etapas. Primeiramente, entenda como aplicar efeito no seu saque. Então, comece a usar um pouco desse serviço em suas partidas. Para atingir bons índices de aproveitamento, você precisará de meses de trabalho duro. Você pode ter melhoras radicais técnica e mentalmente. Mas não conseguirá fazer isso do dia para a noite.

Fotos: Ron C. Angle/TPL


Técnica/Drills

Artigo publicado nesta revista


REVISTATENIS.COM.BR VOLTA ÀS QUADRAS MAIS ÁGIL DO QUE NUNCA


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira

Boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas