Revista TÊNIS

O trabalho de pés revisto

Muito do que você ouve sobre a movimentação em quadra está errado. Aqui estão as dicas certas sobre footwork no tênis moderno

José Higueras em 1 de Junho de 2009 às 13:09

Ron C. Angle/TPL

Quantas vezes você ouviu essas frases: "Não ceda terreno"; "sempre entre na bola"; "Não bata apoiado no pé de trás"? Nos estados unidos, "cubra a linha de base" e "pegue a bola na subida" tornaram-se verdades por si mesmas; sendo que, para jogar um bom tênis, deve-se atuar desse jeito.

Isso é um mito. Se você quiser a prova, assista aos jogos profissionais. Os melhores jogadores do mundo frequentemente batem na bola inclinando-se para trás, e não somente quando estão dentro na quadra, ou enquanto recuam para a linha de base. Os tenistas não fazem isso por estarem nervosos ou por terem técnicas ruins, mas por necessidade.

Rafael Nadal, que talvez tenha a melhor movimentação do mundo, explicou quando um repórter perguntou por que ele ficava tanto tempo bem atrás da linha de base contra Fernando Verdasco nas semifinais do Australian Open: "você viu a velocidade da bola, ou não?"

Nadal aponta para um fato simples sobre o footwork (trabalho de pés) no jogo moderno, que é baseado no jogo da linha de base: "Você não pode lutar contra a bola". Se está vindo lentamente, entre na bola e seja ofensivo. Mas, se está vindo rápido, você precisa se ajustar.

Imagine que você está dentro de um círculo - pouco mais de um metro atrás da linha de base - pronto para reagir à bola que está vindo. Você tem quatro opções óbvias - ir para frente, esquerda, direita, trás - junto com as outras direções intermediárias. Em outras palavras, o trabalho de pés é uma habilidade de 360º. Ela requer uma leitura imediata da bola e tomar o caminho mais eficiente em direção a ela.

Isso é o que estou ensinando aos meus alunos agora como diretor de treinamento para o desenvolvimento de tenistas de elite da Associação de Tênis dos Estados Unidos (USTA), porque é essencial que os jogadores aprendam essas habilidades o mais cedo possível. Aqui estão quatro dicas e um drill que vão lhe ajudar muito a melhorar o seu footwork.

1. ORGULHE -SE DA DEFESA

Se alguém lhe dá um forte soco no seu nariz, você deveria ir para a frente e absorver a força total do golpe ou ir para trás, minimizar o impacto e tentar revidar? A resposta é óbvia, mas ainda poucas pessoas aplicam este princípio no tênis. Se alguém bate a bola que cai próximo da linha de base, não tente alcançá-la cortando o espaço em um ângulo fechado. Movimente-se para trás na diagonal, tenha certeza de que você está equilibrado, e tente rebater a bola com profundidade.

Mesmo que a gente pense que Roger Federer é um jogador fundamentalmente de ataque, sua defesa e posicionamento são o que dão a ele tantas oportunidades para fazer o golpe ofensivo. O tênis é um jogo de erros, mesmo quando se trata de profissionais; se você cometer menos erros que seu oponente, vai ganhar mais do que perder. Dito isso, quero enfatizar que "defender" e "baloar" não é a mesma coisa. Jogar na defesa não significa ser passivo.

Josh Merwin © RCA ProductionsBEImages Sports

2. PENSE EM EQUILÍBRI O, NÃO EM TRANSFERÊNCIA DE PESO

Se você pode chegar na bola rápido o bastante para entrar no golpe, faça isso. Mas, em algum momento, você vai ter que bater uma bola apoiado no seu pé de trás, com um apoio um pouco mais aberto do que você gostaria, ou com seus pés mais afastados do que desejaria. Ninguém se ajusta a esses movimentos melhor do que Andy Murray.

Felizmente, mudar sua técnica agora é mais fácil do que nunca, graças a raquetes mais leves, que têm pontos de contato maiores e melhor estabilidade.

A chave para o sucesso em um golpe como esse é manter o seu equilíbrio. Mantenha o seu centro de gravidade baixo enquanto se move e não deixe que seus ombros caiam ou sua cintura se curve.

3. USE PASSADAS MAIS LARGAS, SE NECESSÁRIO

Geralmente, é um bom conselho dar vários passos curtos ao invés de alguns grandes, quando nos aproximamos da bola. Mas, faça isso somente quando for prático. Às vezes, você não tem escolha a não ser dar passos largos - como Jelena Jankovic faz - e colocar o melhor swing que puder na bola.

Se você tiver que correr uma longa distância, não tem problema dar passadas maiores no começo, e se tiver tempo, diminua-as enquanto se aproximada bola para que consiga ser mais preciso com o seu posicionamento. Várias vezes, acho que os tenistas dão muitos passos quando eles só precisavam dar alguns. Isso pode causar tantos problemas - golpes atrasados, fracos e erros - quanto dar poucos passos. Você deve se movimentar decisiva (ver a bola e reagir a ela) e economicamente.

#Q#

fotos: Josh Merwin e Ron C. Angle © RCA Production

4. ENCONTRE O SEU PRÓPRIO MEIO DA QUADRA

Já disseram que você deve retornar ao meio da quadra depois de cada golpe. É melhor aprender onde é a sua posição neutra e voltar a ela. Para a maioria, neutra significa favorecer o lado direito; destros deveriam ficar entre 0,6 m e 0,9 m para a esquerda na marca do meio, como Andre Agassi faz na foto. Outros, contudo, preferem bater mais esquerdas. De qualquer jeito, mova-se para um ponto que lhe possibilite utilizar sua arma o maior número de vezes possível.

se os seus golpes são fortes em ambos os lados, mas você se movimenta melhor para a direita ou esquerda, deixe mais espaço para o seu lado mais rápido. Footwork não significa apenas mover-se em direção à bola. ele envolve orientar a quadra de uma forma que force o seu oponente a colocar a bola no local em que você prefere bater. use seu posicionamento na quadra para influenciar o local em que seu adversário bate a bola. se você simplesmente volta para o centro depois de cada golpe e ignora seus pontos fortes, estará em desvantagem.

DRILL: EMBARALHE

Faço esse treinamento com nossos jogadores da usTA. Posicione-se de frente para a rede, atrás da linha de base e fique alerta. seu parceiro de treino deve se colocar a alguns passos de você, encarando-o. quando ele arremessar a bola - tanto para a sua direita como para a esquerda, e variando a profundidade - corra e bata seu golpe normalmente.

Desta posição próxima, seu parceiro pode forçar você a bater vários golpes em poucos segundos, e também fazê-lo movimentar-se em várias direções. Conforme você vai melhorando, peça ao parceiro para aumentar a velocidade do drill e arremessar bolas para lugares mais difíceis na quadra. Não vai demorar até que você se perceba reagindo mais rapidamente à bola e tomando melhores decisões.

From Tennis Magazine. Copyright 2009 by Miller Sports Group LLC. Distributed by Tribune Services


Preparação Física/Fisioterapia

Artigo publicado nesta revista


REVISTATENIS.COM.BR VOLTA ÀS QUADRAS MAIS ÁGIL DO QUE NUNCA


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira

Boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas