Revista TÊNIS

US Open

Principais órgãos do mundo do tênis, ITF e WTA divergem sobre polêmica com Serena

ITF defende o árbitro Carlos Ramos após episódio na final feminina do US Open, WTA apoia Serena

Da redação em 10 de Setembro de 2018 às 15:56

Foto: USTA/Darren Carroll

A polêmica envolvendo a norte-americana Serena Williams e o árbitro português Carlos Ramos durante a final do US Open, no último sábado, continua repercutindo. Nesta segunda-feira, a ITF (Federação Internacional de Tênis) e a WTA (Associação de Tênis Feminino), dois dos principais órgãos regentes no tênis profissional publicaram suas visões sobre o ocorrido.

Em nota publicada em seu site, a ITF defendeu Ramos, a quem chamou de "um dos mais experientes e respeitados árbitros de tênis" e considerou suas atitudes corretas por seguirem exatamente o escrito no livro de regras. Confira, na íntegra:

“Carlos Ramos é um dos mais experientes e respeitados árbitros do tênis. As decisões estavam de acordo com as regras relevantes e foram reafirmadas pela decisão do US Open em multar Serena Williams pelas três ofensas. É compreensível que o incidente, grande e lamentável, provoque debates. Ao mesmo tempo, é importante lembrar que o Sr. Ramos assumiu suas funções como oficial de acordo com o livro de regras e agiu em todos os momentos com profissionalismo e integridade”.

A WTA, por sua vez, seguiu o discurso de Serena após o jogo e criticou uma diferenciação no tratamento dado a homens e mulheres por parte da equipe de arbitragem. A entidade considera também, conforme o comunicado, a necessidade de maior discussão sobre a regra de coaching. Leia a declaração completa, escrita pelo CEO da WTA, Steve Simon:

"[O incidente] trouxe à tona a questão de se padrões diferentes são aplicados a homens e mulheres no combate de jogos. A WTA acredita que não deve haver diferença nos padrões de tolerância fornecidos às emoções expressas por homens e mulheres e está empenhada em trabalhar com o esporte para garantir que todos os jogadores sejam tratados da mesma forma, e não acreditamos que isso tenha sido feito na noite passada. Também achamos que a questão do coaching precisa ser abordada e deve ser permitida em todo o esporte. A WTA apóia o coaching por meio de sua regra de treinamento em quadra, mas é necessária uma análise mais aprofundada. A partida apresentou uma das novas estrelas do tênis, bem como um dos maiores jogadores do jogo. Estamos ansiosos para disputas mais emocionantes entre esses grandes atletas e esperamos que o que todos nós testemunhamos ontem nunca aconteça novamente".

Relembre o caso

Durante a decisão do Aberto dos Estados, Serena foi advertida após seu técnico Patrick Mouratoglou dar instruções para ela, o que é proibido durante o jogo. Inconformada com a decisão, Williams quebrou sua raquete e levou mais uma advertência. Irritada com a decisão de Ramos, a tenista ainda chamou o árbitro de "ladrão", o que a fez perder um game.

Esses comportamentos levaram a organização do US Open a multar Serena em 17 mil dólares.

Veja no vídeo:


Notícias Serena Williams Naomi Osaka Carlos Ramos US Open árbitro de cadeira


REVISTATENIS.COM.BR VOLTA ÀS QUADRAS MAIS ÁGIL DO QUE NUNCA


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira

Boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas