Instrução Golpe

Serviço imponente

O saque de Venus Williams impôs respeito em um circuito marcado por "empurradoras" de bola e esta arma deixou sequelas até nas estatísticas da WTA

Matheus Martins Fontes em 21 de Março de 2013 às 08:45

Quando ingressou no circuito profissional em 1994, Venus Williams encontrava do outro lado da rede um saque cadenciado e que servia, principalmente, para dar início aos pontos. Ao perceber isso e pela força que sempre trouxe de casa, desde os treinos com o pai Richard e a mãe Oracene, a norte-americana pregou respeito quando tinha o saque em mãos.

Venus intimidava a todas as rivais com tiros próximos a 200 km/h. Quase 20 anos se passaram e a tenista, de 32 anos e já com certas limitações físicas, ainda é a líder nesse quesito. Nas estatísticas da WTA, seu nome está no topo da lista dos serviços mais rápidos da história. No US Open de 2007, a ex-número 1 do mundo alcançou a incrível marca de 129 milhas por hora, o equivalente a 207,6 km/h. No ano, ela também não fez feio no único torneio que havia feito antes de Florianópolis e disparou com raiva um saque a meros 190 km/h no Aberto da Austrália. Dessa forma, vale analisar a sua técnica.

  1. O ritual vagaroso para sacar nem parece que mostrará uma Venus capaz de disparar um saque a mais de 200 km/h. Todo o começo de seu movimento é lento e, principalmente, contínuo, como sempre é um bom saque. Nesse momento, ela já está com o apoio na perna de trás, levemente flexionada.
  2. Vale reparar que ela segura a raquete quase na borda do cabo, com empunhadura entre Continental e Eastern, que são excelentes para o serviço. Outro ponto importante e a que poucos dão atenção é o braço do lançamento, completamente esticado, com a mão somente soltando a bola no ar e não jogando, como muitos erroneamente fazem.
  3. Nota-se que, ao mesmo tempo em que ela faz o toss e o braço esquerdo sobe para acompanhar o movimento da bola, o direito começa seu caminho para a alavanca. Repare que a cabeça da raquete desce ao ponto máximo e ela a mantém lá, sem pressa de realizar o resto do movimento, numa cadência perfeita.
  4. Somente quando a bola já está perto no ponto ideal e a raquete começa a subir (o pulso está relaxado), ela começa a transferir o peso do corpo da perna esquerda para a direita. Veja como ela dobra os joelhos.
  5. Mesmo bastante alta, Venus usa o padrão de aproximar os pés, que geralmente é utilizado por quem precisa ganhar altura e potência. Curioso, porém, é que ela não exatamente junta os pés, mas faz com que o pé direito passe pelo esquerdo, como que ajustando seu posicionamento. Parece um ajuste devido a um toss errado, porém, não é. É o seu estilo.
  6. Se o começo do movimento é lento quase que ao extremo, o final é uma explosão. Ela mantém o braço do toss alto até o último instante e a cabeça da raquete sobe. Quando o braço começa a baixar, os joelhos se desdobram e a cabeça da raquete cai atrás do corpo, para gerar a potência.
  7. Repare que ela golpeia a bola muito alto, com o corpo todo esticado e levemente voltado para a frente. Note a altura que ela sai do solo no "salto" resultante da impulsão das pernas. Como todo bom sacador, ela terminar já dentro da quadra.

Técnica/Drills

Artigo publicado nesta revista

Revista TÊNIS 114 · Abril/2013 · Tênis feminino

Como a força predomina no tênis entre as mulheres

O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas