Derrubou o número 1

O nome dele é Vasek

Qualifier canadense joga muito em Indian Wells e elimina Andy Murray

Por Rodrigo Soares em 13 de Março de 2017 às 17:38

 
Vasek Pospisil é um dos raros jogadores do tênis moderno que ainda adota a tática de ir à rede para definir os pontos. Baseado nisso, o canadense sabia o que deveria ser feito para dificultar a vida do número 1 do mundo, Andy Murray. No Australian Open, o britânico já havia sido derrotado de maneira precoce por Mischa Zverev, adepto do “saque e voleio”.
 
Pospisil é um dos melhores duplistas do mundo, possuindo um título de Wimbledon ao lado do norte-americano Jack Sock em 2014. Chegou a ser o quarto do mundo, em abril de 2015. Apesar do talento, nas simples, o canadense não andava em boa fase. Pelo seu ranking discreto (atualmente é o número 129 da turnê), Pospisil teve que furar o qualifying para ingressar na chave principal de Indial Wells. 
 
Após triunfos contra o desconhecido norte-americano Mitchell Krueger (6-3, 6-4) e contra o veterano e também norte-americano Rajeev Ram (4-6, 6-3, 6-2) no qualifying e de uma difícil vitória na primeira rodada sobre Yen Hsun-Lu, de Taiwan (6-7(6),6-4,6-3), o “prêmio” do tenista filho de tchecos seria encarar Andy Murray. Nas quatro partidas anteriores contra o britânico, Pospisil não havia sequer beliscado um set do número 1 do mundo. 
 

A batalha 

O primeiro game da partida já mostrava que Murray não teria vida fácil desta vez. Com longas trocas de bola e alternando o backhand no slice e na batida chapada de duas mãos, Pospisil tentava variar o seu jogo e confundir o britânico. Quando a situação estava favorável, o canadense ia à rede matar o ponto. Sacando em 1-2, Pospisil teve seu serviço quebrado sem sequer ele conseguir fazer um ponto. Do quinto ao sétimo game, somente quebras de saque e Murray liderava em 4-3.
 
No oitavo game, o canadense sacou bem e igualou a partida. No game seguinte, ele só precisou de apenas um break para quebrar pela terceira vez consecutiva o serviço do número 1 do mundo. Sacando para o set, Pospisil não desperdiçou a oportunidade e fechou a parcial em 6-4. Se perdesse, pelo menos um set o franco atirador já tinha levado para casa. 
Logo no primeiro game da segunda parcial, Murray foi novamente quebrado por Pospisil. No quarto game, porém, o britânico devolveu a gentileza e igualou o placar. Nos oito games seguintes, houve um predomínio claro dos sacadores, sem que nenhum break-point fosse concedido de parte a parte. A definição do segundo set seria, então, no tiebreak. 
 
No game de desempate, Pospisil começou dominante, conquistando dois mini-breaks e abrindo 6 a 2, com quatro match points à sua disposição. Andy Murray, então, tentou uma reação de número 1 do mundo, chegando a diminuir a diferença para 5-6. Mas o britânico parou por aí e Vasek Pospisil pôde enfim comemorar a grande vitória da sua carreira em simples. 
 
O próximo desafio do canadense será contra o sérvio Dusan Lajovic, que vem jogando um tênis consistente de fundo de quadra. Para Murray, restou a confirmação que Indian Wells não é mesmo seu torneio de sorte. Em dez participações, nenhum título e apenas uma final, em 2009, contra o Toro Miúra. Ano passado, Murray não passou da terceira rodada, perdendo para o argentino Federico Delbonis.

Notícias

O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas