Instrução Golpe

O golpe que venceu Roland Garros

Descubra os segredos do backhand de Stan Wawrinka

Por Arnaldo Grizzo em 24 de Junho de 2015 às 00:00

O backhand de uma mão costuma ser subestimado. Quando Stan Wawrinka chegou à final de Roland Garros, muitos apontaram que este poderia ser o ponto fraco que Novak Djokovic deveria aproveitar para vencer a partida e levar o título que falta para completar sua coleção de Grand Slams. No entanto, o suíço mostrou que seu revés, na verdade, é sua principal arma.

Durante a decisão do Aberto da França, Wawrinka provou que o backhand executado com uma só mão pode ser mais do que eclético, ele pode ser também muito potente. Mais do que conseguir winners (ao total foram 11 usando o revés), Stan manteve o sérvio acuado disparando bolas pesadas. Em nenhum momento ele teve medo de ficar trocando bolas cruzadas de backhand contra o número 1 do mundo, o tenista mais regular dos últimos anos. No fim, aproveitou todas as chances que teve e conquistou seu segundo Major na carreira.

Ao final, até Djokovic admitiu: “Ele tem provavelmente o melhor backhand de uma mão no circuito. Sem dúvida, um dos melhores backhands que eu vi no tênis”. Vale lembrar que o suíço, até os 11 anos, usava o backhand com duas mãos e trocou de técnica aconselhado por seu técnico. “Meu golpe com duas mãos não era muito bom, então foi uma mudança natural para mim”, afirma.

Confira como Stan Wawrinka executa sua arma letal com o revés.

1. Em um primeiro momento, há duas coisas importantes para serem notadas no golpe clássico do backhand. A primeira é a rotação do tronco. Wawrinka quase dá as costas para a bola. A segunda é a preparação antecipada com a cabeça da raquete alta. Repare que nesta imagem ele ainda não apoiou a perna direita à frente, mas já está com o golpe completamente armado. 2. Já com perna direita devidamente apoiada, ele começa a girar o tronco na direção da bola. Stan faz contato com ela à frente do corpo, com o braço completamente esticado. Para um backhand de uma mão, não é importante apenas a distância da bola para o corpo, mas também a altura. Portanto, é necessário estar bem posicionado para assegurar que a bola não seja batida muito alta ou muito baixa.
3. Outro detalhe importante no golpe do suíço são as pernas levemente dobradas, que vão ajudá-lo a gerar mais potência de baixo para cima. Além disso, a perna esquerda vai lhe dar ainda mais suporte para a rotação. Depois, Wawrinka também tem uma terminação excelente. Um dos segredos é realizar o swing da forma mais relaxada possível, sem travar o braço em nenhum momento, em um movimento contínuo. 4. Ao terminar o golpe com o corpo mais voltado para a quadra depois da rotação, Stan está bem posicionado para recuperar seu posicionamento em quadra. Este é outro ponto alto de seu backhand, que lhe dá a chance de rapidamente se posicionar para a próxima bola. A imagem mostra claramente todo o seu peito aberto e já voltado para a quadra.

Instrução Stan Wawrinka golpe backhand Roland Garros Novak Djokovic

Artigo publicado nesta revista

Revista TÊNIS 141 · Junho/2015 · Marcelo Melo

Brasil volta a vencer em Roland Garros Qual o segredo para derrotar os Bryan?

O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas