Instrução Regras

O dilema da raquete “voadora”

Você atira a raquete na direção da bola, que bate e volta para a quadra adversária... A bolinha do rival quica sobre uma bola que estava na sua quadra... E agora?

Por Daniel G. Levy em 27 de Abril de 2015 às 00:00

Provavelmente você já deve ter visto alguns jogos de exibição em que diversos tipos de jogadas muito loucas acontecem. Uma delas, por exemplo, é quando um tenista percebe que vai levar um lob ou uma passada e resolve atirar a raquete na direção da bola. Às vezes, acontece de a raquete tocar na bola e, raras vezes, a bolinha pode até voltar para a quadra adversária.

Se isso ocorre em uma partida exibição, tudo bem. O jogador que conseguiu a proeza comemora o ponto e tudo é festa. No entanto, como devemos proceder caso isso ocorra em uma partida oficial, ou mesmo no seu clube? Quem ganha o ponto? Você que tentou o lob ou a passada, ou o oponente que conseguiu uma jogada incrível ao acertar a raquete na bola?

Por mais que a tentativa de seu adversário de interceptar a bola jogando a raquete possa resultar em uma improvável bola que volte para a sua quadra, a jogada não é válida. A regra aponta que a raquete obrigatoriamente tem que estar na mão do tenista para desferir o golpe. Ou seja, a partir do momento em que ele joga a raquete, o ponto é seu.

Se, no entanto, ele golpear a bola com a raquete na mão e ela, depois do contato com a bola, cair no chão, aí é outra história. Desde que a queda da raquete da mão seja intencional (ou seja, para distrair o oponente), o ponto continua valendo.

Choque de bolinhas

Outra questão muito debatida e que muitas vezes acontece durante jogos amadores é quando uma bola quica exatamente sobre outra que está parada dentro da quadra. E então? De quem é o ponto?

A regra diz que se isso ocorrer, o ponto continua. Ou seja, se a bola quicou sobre outra na sua quadra, subiu e você rebateu, o jogo segue. Mas, há um porém. Se não está claro, para você ou seu adversário, que a bola rebatida foi exatamente a bola que estava em jogo, um “let” deve ser chamado. E, evidente, se com o choque das duas bolas, elas forem uma para cada lado, sem que você consiga rebater a bola que estava em jogo, você perde o ponto.

Então, fica a dica: sempre retire as bolas que por ventura estiverem do seu próprio lado da quadra, como os primeiros saques que batem na rede e voltam para dentro da quadra, por exemplo. Isso evita uma perda de ponto involuntária. E, só para lembrar, se a bolinha quicar em cima de outra que está fora da quadra, o ponto termina aí.

Dúvidas, sugestões, opiniões?
Entre em contato com danielglevy@hotmail.com

Daniel G. Levy é árbitro certificado pela ITF desde 1999


Regras dilema raquete voadora

Artigo publicado nesta revista

Revista TÊNIS 139 · Abril/2015 · Orlando Luz

Um dos melhores juvenis do mundo é brasileiro!

O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas