Instrução Capacitação

Férias, para que te quero? Para jogar tênis, ora bolas!

Atividades para você desenvolver com seu filho durante as férias

Por Suzana Silva em 19 de Maio de 2017 às 17:30

Férias escolares chegando, feriados de final de ano, verão nos convidando para a vida ao ar livre. Boa oportunidade para brincar com os filhos e para estimulá-los a dar suas primeiras raquetadas. Afinal, nada como papais e mamães darem o exemplo para que os pimpolhos aumentem as chances de participação longeva no esporte. “Ai, mas com essa crise, não conseguirei dar uma raquete para o meu filho de Natal, não...”, é um pensamento que pode ter cruzado a mente de tantos leitores.

A boa notícia é que não só raquetes de metal – com corda e tudo! – podem ser encontradas por menos de R$ 100, e bolinhas de espuma por menos de R$ 10, em grandes magazines esportivos, mas também há modelos de plástico rígido por menos de R$ 30 em lojas de R$1,99. E mais: para iniciar seu filho na arte de rebater, o velho e bom “jogo de taco” só precisa de dois paus de madeira e uma bola de meia para acontecer.

Para iniciar a prática dos voleios, dá para improvisar uma raquete, confeccionando-a com cabide de arame e meia calça de nylon, ou envolver a mão da criança com uma embalagem Tetra Pack de 1 litro de leite. Pronto, falta de raquete não é mais desculpa. Ah, a bolinha pode ser feita de jornal amassado. Como rede, qualquer barbante, corda, fita plástica ou elástica esticada e segura por duas cadeiras, ou por dois troncos de árvore; até mesmo um banco cria o obstáculo que divide os jogadores em dois campos e garante a diversão.

Mas não custa nada dar uma olhada nas mini redes à venda em lojas de esportes, que qualquer criança consegue carregar e montar, cujo valor não chega a R$ 300. Materiais reciclados ou novos à parte, o que contará mesmo é você brincar com seu filho e proporcionar desafios ótimos – nem muito fáceis, nem muito difíceis – que o deixarão com gostinho de quero mais.

Nem será necessária uma quadra de tênis para fazer essas atividades: qualquer pátio, quadra poliesportiva, área asfaltada em parques, praia de areia dura, pode ser palco para a diversão. Mas, que brincadeiras são essas? (em negrito estão destacadas as habilidades desenvolvidas ou as capacidades físicas e perceptivas envolvidas em cada brincadeira).

Crianças de: 3 a 5 anos

Rebater uma bola rolando: é mais fácil do que rebater uma bola quicando e possui o apelo irresistível do futebol. Coloque dois tubos de bola lado a lado fazendo um gol, ou um caminho pelo qual a bola deverá passar. Primeiro a criança rebate uma bola parada, tenta marcar o “gol”, depois você e ela podem rebater a bola um para o outro tentando fazê-la passar entre os dois tubos. Pode começar com bolas grandes de plástico leve e ir diminuindo até chegar à bola de tênis.

Correr ao lado de um bambolê: role um bambolê por uma superfície lisa e peça para sua filha apostar uma corrida” com o bambolê. Demarque as linhas de saída e de chegada com giz ou sinalize com um tubo de bolas até onde vai a corrida. Depois, peça que ela chegue ao mesmo tempo em que o bambolê. Além de desenvolver a corrida, essa atividade também trabalha a percepção espaço-temporal.

Receber uma bola grande: peça que seu filho segure o bambolê com as duas mãos na altura da cintura e envie uma bola de plástico na direção dele para ele “encaçapar” a bola com o bambolê. A distância entre vocês pode aumentar e o tamanho da bola diminuir para dificultar o desafio. Essa atividade também estimula a percepção espaço/temporal.

6 a 8 anos

Lançar bola à parede aquela brincadeira de jogar uma bola na parede e recuperá-la de várias formas (com duas mãos, com uma mão, batendo palma, dando uma Voltinha etc) é muito boa para desenvolver as habilidades de projeção e de recepção e o timing. Essa brincadeira pode evoluir para rebater a bola para a parede, com desafios crescentes de “quebrar o recorde”.

Corrida de obstáculos: coloque vários objetos no chão (raquetes, sapatos, bonecas, o que tiver à mão) em linha, com aproximadamente dois pés de distância entre eles e peça para sua filha percorrer o percurso no menor tempo possível sem pisar em nenhum objeto. Cronometre! Ela vai adorar! Essa atividade desenvolve o equilíbrio dinâmico e a percepção espacial.

Arremessar uma bolinha por cima da cabeça o mais longe que conseguir. Marque o local de onde seu filho fará o arremesso e marque com um giz, caneta ou fita crepe onde a bola quica pela primeira vez. Se tiver mais amiguinhos para realizar o desafio com ele, ficará ainda mais divertido! Lembre-se: o arremesso é a habilidade de dá origem ao saque. Uma variação legal é arremessar na direção de uma parede: faça um alvo redondo com giz e veja quem consegue acertá-lo da maior distância.

 9 ou 10 anos

Lançar, rebater, agarrar: você já pode brincar de lançar a bola para sua filha rebater, mas o desafio é rebater com controle, então ela deve conseguir rebater depois de um quique e você deve conseguir agarrar depois de um quique. Quando fizerem este ciclo completo, digamos, 10 vezes, troquem de posições (sua filha lança, você rebate, ela agarra). Se não tiver raquetes, use o Tetra Pack e bola mousse ou de plástico.

Pular corda: Sim, essa brincadeira simples de infância melhora o timing, o ritmo, e “de quebra” fortalece a musculatura de pernas, braços e coração. Vale a corda grande, Comunitária, e também as cordas individuais. O truque é criar desafios para a quebra dos recordes de cada criança.

Cesta ao contrário: ficar embaixo de uma cesta de basquete, lançando a bola debaixo para cima, é uma brincadeira simples que estimula o controle de um bom lançamento para o saque.

[Colocar Alt]

Além da brincadeira

Todas essas brincadeiras são simples e estimulam capacidades e habilidades que auxiliam o aprendizado do tênis. Vale a pena, antes ou depois delas, contar um pouco das conquistas brasileiras no tênis: Guga número 1 em 2000, Marcelo Melo número 1 de duplas e Teliana top 50 de simples em 2015... Estes e outros ídolos brasileiros são verdadeiros heróis e podem inspirar ainda mais as crianças a praticar o esporte. Se as crianças se empolgarem, é só procurar um bom programa de tênis infantil no próximo ano e partir para o Play.

Observações: Para saber como confeccionar as raquetes com cabides e meias acesse a Fanpage do Programa jogue Tênis nas Escolas (PJTE) no Facebook. Lá também você encontra cenas de rebatidas com Tetra Pack. Clique e acesse: http://tinyurl.com/tenisnasescolas.


Notícias

O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas