Revista Tênis

 

A COMPETIÇÃO É o que nos move. Dedicamos horas e mais horas de nossas tardes ensolaradas para treinar, treinar e treinar. Na minha escola, normalmente sou o mais rápido, o mais ágil, brincadeiras que exigem coordenação e re exo são a minha praia e se colocarem um taco de bets (lesca) na minha mão, aí então, sai da frente...

Sou um tenista.
No auge dos meus 14 anos, suporto dores físicas/musculares de uma intensidade que poucos na minha idade já sentiram. Tomo decisões em menos de dois segundos que in uenciam o resultado do jogo e ainda consigo, na maioria das vezes, prever e me antecipar a varias situações. Sou diferente...

Mas não sou o único.
Nos torneios infanto-juvenis, estão presentes crianças e adolescentes que possuem uma aptidão física diferente da de outros que não estão acostumadas com o esporte. No meio de tantos talentos, existem alguns fatores que de nem o sucesso e o fracasso durante essa etapa do desenvolvimento.

Sou bom, mas não consigo desempenhar o meu “melhor tênis” durante a competição. Sinto que, quando chego ao local do evento, a energia muda, minhas pernas amolecem e minha respiração dispara. Todos em volta me olham como se analisassem e tirassem uma conclusão do meu nível de jogo pelas roupas ou pelo material que estou usando.

O psicológico é um fator determinante que in uencia o resultado de qualquer modalidade esportiva. Então, o atleta precisa estar com estratégia pronta, pensamentos positivos, intensidade elevada, e ainda assim, calmo. E não pense você, pai e mãe, que suas palavras irão ajudá-lo. Pelo contrário, na maioria das vezes, acabam atrapalhando ainda mais. Pais são excelentes espectadores quando estão em silêncio; as palavras do técnico ajudam, mas também podem não ser su cientes. Então, o que fazer?

DICAS DE COMPORTAMENTO

A motivação é a palavra-chave e para os garotos que passam ou já passaram por essas situações, aqui vão cinco dicas que podem ser úteis:

  1. Quanto mais roupa combinando, menos vontade de correr e sim de se exibir. Não se preocupe, as aparências enganam;
  2. Não se impressione com o aquecimento do seu adversário. O desempenho dele durante o jogo pode ser muito diferente e ele certamente está com tanto medo quanto você;
  3. No começo dos jogos, entre com calma e priorize a troca de bola. Não queira mostrar os seus “supergolpes” a quem está assistindo. É muito mais legal mostrar o troféu de campeão depois;
  4. O primeiro saque é o seu melhor amigo nas horas de pressão. Não dê brecha para as duplas-faltas, elas são as maiores causadoras do desastre psicológico;
  5. Durante a partida, não perca o espírito esportivo e, ao nal, cumprimente o seu adversário com simpatia e educação. No próximo torneio, não vão olhar o que você está vestindo, mas comentar que chegou ao clube um cara bacana e excelente tenista.

O melhor atleta sempre foi e sempre será você. Con e em si mesmo e deixe suas habilidades uírem. Torneios devem ser locais de socialização. Jogue o seu melhor tênis, faça amigos, dê o sangue durante as partidas, respeite o seu adversário e todas as pessoas que estejam trabalhando no local. Vai ser bom para todos vocês e muito importante para o desenvolvimento do esporte.

Artigo publicado nesta revista

comments powered by Disqus