Dica para ter sucesso nos Futures

Um dos fatores diferenciais nos torneios menores é a capacidade de recuperação física dos atletas e a maioria não dá valor a isso

Fábio Carlos Lucas De Oliveira em 26 de Dezembro de 2012 às 14:07

divulgação

AO ANALISAR O CIRCUITO profissional, pode-se perceber que o nível competitivo dos atletas que ocupam posições entre o número 200 e 500 do ranking mundial é bastante parecido. A maioria desses atletas almeja subir na lista até alcançar o sonhado top 100, porém, a vida em meio a esse grupo não é fácil.

Para alavancar seus rankings, eles têm muito trabalho a fazer, muitos pontos a conseguir e, por isso, competem durante várias semanas consecutivas. Nessa sequência de competições na busca de pontos, torna-se inevitável que, em um determinado momento, o atleta se encontre em um estado de desgaste físico que afeta seu desempenho em quadra. Ainda assim, há um possível fator de equilíbrio no fato de que outros jogadores também estão no circuito há algumas semanas e, portanto, também propensos a apresentar um quadro considerável de desgaste físico.

Considerando uma possível igualdade no nível competitivo associado a uma igualdade na condição física dos atletas, o que poderia fazer a diferença? A resposta é bastante simples, porém a sua aplicação não é tão regular nos circuitos mais baixos como Futures, por exemplo.

RECUPERAÇÃO

Ao longo de algum tempo como fisioterapeuta em torneios oficiais, tenho recebido muitas queixas de cansaço e fadiga muscular, como consequência da alta sequência de jogos e treinos intensos por várias semanas consecutivas. Já na função de "personal physio" de alguns atletas, tenho observado que a recuperação diária contribui com a manutenção da alta performance, proporcionando uma renovação da condição física a cada dia de competição. Observo ainda que, coincidência ou não, a maioria dos atletas que atingiram a semifinal ou final dos torneios em que prestei assistência fisioterápicas se submeteram a sessões de recuperação física durante todos os dias da competição.

Com base nisso, a recuperação física pode ser considerada como um dos principais fatores de contribuição para o sucesso em um torneio Future, podendo até ser vista como um fator de desequilíbrio entre um atleta e outro, face a igualdade do nível competitivo.

Imaginemos que você acaba de se classificar para as quartas-de-final de um Future depois de um jogo de três horas de duração sem interrupções. É muito provável que esteja cansado, mas ainda assim amanhã terá mais um jogo, que possivelmente não será fácil. Além disso, pense que para vencer o torneio terá de estar fisicamente preparado para mais três jogos. Sabemos que, nesse cenário, há muitos outros acontecimentos que podem ser favoráveis ou não, mas é crucial que você faça uma boa sessão de recuperação dia-a-dia com o fisioterapeuta.

Dessa forma, seu corpo estará mais susceptível às demandas exigidas em um jogo de tênis e, muito provavelmente, conseguirá suportar a partida seguinte sem expor todo o seu desgaste acumulado ao longo da semana e das competições anteriores. É recomendável que esse trabalho de recuperação seja feito em todos os dias em que o atleta disputar um jogo competitivo.

ROTINA

Para que um atleta esteja recuperado após uma partida extenuante, sugere-se que a sessão de recuperação seja composta por corrida leve de 5 a 10 minutos, alongamentos gerais, técnicas de liberação miofascial, varredura (crioterapia), massagem e muita mobilização articular para as grandes articulações (com ênfase em ombros, quadril, joelhos e toda a coluna vertebral).

Quando possível, o banho de imersão em gelo também pode ser utilizado, pois, apesar de não haver comprovações científicas sobre o efeito da técnica na eliminação do lactato sanguíneo, a sensação de bem-estar e relaxamento relatada pelos atletas é considerada de grande importância física e psicológica.

Apesar de a recuperação diária ser extremamente importante para o bom desempenho do jogador em uma semana de torneio, seria incorreto pensar que apenas com ela o jogador vencerá a competição. São necessários outros requisitos, mas o condicionamento físico restaurado por uma boa sessão de recuperação corporal feita no dia anterior pode fazer a diferença nos momentos cruciais de uma partida.

Mais informações: fabiooliveira@fcdef.uc.pt


Preparação Física/Fisioterapia

Artigo publicado nesta revista

Revista TÊNIS 111 · Janeiro/2013 · A turnê de Federer pelo Brasil

Analisamos os golpes do suíço em São Paulo



O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar

Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas