Dez perguntas frequentes

Quais as dúvidas mais frequentes sobre equipamentos? Qual a resposta para elas?

Fabrizio Tivolli em 23 de Março de 2009 às 06:54

Em um esporte tão detalhista como o tênis, que conta com um complexo e verdadeiro arsenal de acessórios, raquetes, cordas, bolas etc, as dúvidas são extremamente frequentes e, com elas, surgem também as "lendas" e opiniões divergentes, que muitas vezes acabam nos deixando mais confusos. Com isso, resolvemos criar uma espécie de "FAQ" dos equipamentos. As questões que alguns tenistas propõem também podem ser as suas. Confira!

1. Qual é a melhor raquete de todas?

Essa talvez seja a pergunta mais comum. E a resposta é simples. Não existe a melhor raquete. Existe a melhor raquete que se encaixa no seu jogo. É óbvio que as raquetes pertencentes à linha top de cada marca reúnem as melhores tecnologias do mercado e, indiscutivelmente, é melhor do que linhas mais inferiores. Dentro disso, temos modelos específicos para cada nível de batida e jogador, o que determinará qual delas é melhor para seu tipo de jogo. A preferência ou adaptação de marca para marca é muito pessoal.

2. Raquetes muito leves causam Tenis Elbow?

É comum tenistas usarem, durante muito tempo, raquetes muito pesadas (principalmente os que jogam desde o começo dos anos 90 quando muitas raquetes eram 100% grafite). Esse tipo de raquete exige um movimento mais amplo do tenista. Com carbono e titânio na composição, as raquetes ficaram muito mais leves. No caso de tenistas de swing amplo e forte, raquetes leves são maléficas ao braço, por serem incompatíveis a esse tipo de movimento, pois dão a impressão de exigirem muito mais força na batida. Na verdade raquetes leves não causam Tennis Elbow, mas são indicadas para tenistas de movimento curto ou médio.

3. Antivibradores realmente fazem diferença?

Diferença faz, mas isso não quer dizer que se trata de algo eficiente para todos. A primeira diferença é no som da batida. A presença de antivibrador, deixa a corda mais "seca", tirando o som. Muitos tenistas adoram e muitos odeiam isso. O antivibrador também ajuda a reduzir as vibrações da corda (não a vibração da raquete, que causa o Tennis Elbow). O melhor é testar a raquete com e sem, para saber o que você prefere.

4. O que acontece se eu usar uma raquete com tamanho de grip errado?

O cabo é uma das partes mais importantes, pois é simplesmente o que une você à raquete. O fato de o tenista usar um cabo muito mais fino ou grosso é prejudicial, pois o obrigará a segurar a raquete com mais força (se não segurar, ela sairá da sua mão com grande facilidade), o que expõe, por exemplo, o pulso e o cotovelo a possíveis lesões.

5. Preciso jogar com um calçado específico para tênis?

Sem dúvida, por dois motivos básicos. Primeiro, a durabilidade de um tênis comum é muito inferior, pois não é reforçado estrategicamente em algumas partes. Segundo, por sua própria segurança, porque um calçado específico garantirá aderência à quadra e, como o jogo de tênis tem movimentos bruscos, o calçado é responsável por estabilizar seu corpo, evitando lesões de tornozelo e joelho, por exemplo.

6. Raqueteiras térmicas garantem a integridade da raquete?

Não. Sabemos que as raquetes, quando expostas a um ambiente de muito calor (como porta malas de carros), podem sofrer danos e até trincar. As raqueteiras térmicas ajudam a minimizar a ação do clima na perda de tensão do encordoamento e não a prevenir possíveis quebras.

7. As raquetes dos profissionais são diferentes das nossas?

Eles não seguem um padrão. Suas raquetes são muito particulares. Grande parte é diferente das que temos nas lojas. Na verdade, em muitos casos (nem todos) elas são exatamente as mesmas raquetes em termos de materiais e tecnologias, mas adaptadas a cada tenista (peso, equilíbrio e número de cordas) de acordo com a necessidade e biótipo de cada um.

8. Quando uma criança deve passar para uma raquete de adulto?

É necessário muito cuidado nessa fase. É preciso o consenso entre o professor e os pais para a escolha certa. O normal é que essa troca seja feita a partir dos 12 anos (aproximadamente 1,40 m), mas, obviamente existem casos de crianças com porte físico mais avantajado e uma batida mais sólida antes disso. Porém, o principal a ser analisado é a altura, nunca esquecendo que a integridade física está em primeiro lugar.

9. Como sei qual tensão devo usar em minhas cordas?

A escolha de tensão nas cordas é muito pessoal. É tão relativo que a mesma pressão de 57 libras, por exemplo, pode ser dura para determinada raquete e suave demais para outra da mesma marca. Por isso, é preciso buscar orientação de um profissional da área. Ele levará em consideração o perfil da raquete e da corda e combinará com o estilo de jogo e biótipo do jogador, recomendando a tensão adequada, visando o conforto.

10. Máquina eletrônica é garantia de um bom encordoamento?

É indiscutível que a máquina eletrônica é a mais precisa e moderna do mercado, porém, não é garantia de um bom encordoamento. É necessário que seja manipulada por um bom encordoador para que, juntamente com a máquina, seja feito um encordoamento de qualidade. A máquina manual também é muito boa, desde que com a manutenção em dia.

Fabrizio Tivolli é encordoador e consultor de equipamentos de tênis há mais de dez anos fabrizio@tivollisports.com.br


Equipamento

Artigo publicado nesta revista

O retorno de Sharapova

Assine

Impressa
1 ano
Impressa
2 anos
PDF/Android
1 ano
iPad/iPhone
1 ano

Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O retorno de Sharapova

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas