7 dicas para aproveitar o US Open e NY

A Revista TÊNIS dá macetes rápidos para você curtir o melhor do US Open e de Nova York durante o torneio de tênis

Arnaldo Grizzo em 20 de Agosto de 2010 às 05:57

 

 

Nova York tem diversos "símbolos". Um deles é o Empire State. A vista lá de cima vale a paciência na fila. Há ainda os taxis amarelos. Eles são caros, portanto, andar de metrô costuma ser a melhor opção. Por fim, se você não gosta de junk food, terá um pouco mais de trabalho para achar um bom lugar para comer coisas saudáveis


1- Ver os jogos
Você vai investir muita grana? Compre ingressos bons para o Arthur Ashe Stadium com bastante antecedência. O site da Ticket Master norte-americana é o revendedor oficial. Se não conseguir os ingressos que pretende, há um programa de compra de subscribers (pessoas que compram ingressos com antecedência, como os associados da federação de tênis norte-americana). Se ainda assim não conseguir, há empresas que vendem ingressos. No Brasil, uma delas é a Faberg Sports, por exemplo.

Não quer gastar muito? Vá ver o quali. A entrada é de graça e você ainda pode ver algumas das grandes feras treinando. Melhor ainda, quem sabe conseguir um autógrafo. Na primeira semana da chave principal, compre os ground pass, chegue cedo e sente-se na quadra onde seu tenista preferido vai atuar. Não saia de lá, do contrário, pode ser que não consiga arrumar outro lugar para sentar tamanha a concorrência (são mais de 60 mil pessoas nos primeiros dias).

Gosta de entretenimento? Vá ao Arthur Ashe Kids Day, o dia das crianças no US Open, no domingo que antecede o início da chave principal. É quando acontecem shows musicais e exibições engraçadas entre grandes estrelas do tênis do presente e do passado. Ou então, compre um ingresso para o primeiro dia da chave, na sessão noturna do Arthur Ashe Stadium (a quadra central tem sessão diurna e noturna com ingressos diferentes para cada uma delas) e veja a bela cerimônia de abertura, sempre também com algum show musical especial e a apresentação de alguém famoso (geralmente um ator de Hollywood).


2- Para comer
Se você não curte junk food, vai sofrer bastante no torneio. Comer por lá não é muito barato e comer coisas que não sejam hambúrgueres, pizzas, fritas, refrigerantes ou sorvetes, além de ser difícil de encontrar, é ainda mais caro. No complexo Billie Jean King, há restaurantes quase que Vips que oferecem uma comida um pouco mais interessante do que apenas o fast food, mas não é barato. É possível entrar com comida no complexo, contudo, sua bolsa será revistada para que eles tenham certeza de que a sua comida não vai "matar" ninguém além de você mesmo. Se você não aguenta os hot-dogs e cia e quer economizar uma boa grana com comida, passe num supermercado ou numa Deli qualquer (delicatessen - há milhares em Manhattan), faça sanduíches ou compre frutas e traga-os consigo. As Delis, aliás, são bons lugares para comer uma comida diferente de fast food gastando pouco. Várias possuem café da manhã, almoço e jantar por quilo com diversas opções.

#Q#

Além do Central Park, um dos passeios legais para se fazer é pela ponte do Brooklin. É uma longa caminhada, contudo. E, já que você está em Nova York, vá ver um dos musicais da Broadway. Este é um programa imperdível


Na parte culinária, o US Open é uma cópia fiel de Manhattan. A comida do dia-a-dia é o junk food, em toda a esquina. Alguns dos lugares mais afamados para comer têm hambúrguer como especialidade, como o PJ Clarke's e o Shake Shack, por exemplo. No mais, grande parte dos restaurantes tem um mesmo padrão, com serviço bom e rápido. Mas, como toda grande metrópole, é possível encontrar bons exemplos de alta gastronomia, desde que você tenha bolso para isso.


3- Para se hospedar Quer ficar em um lugar bacana? Procure hotéis na região leste (East Side) de Manhattan, especialmente os próximos ao Central Park e mais ao norte da ilha (Upper East Side). São os mais caros, mais luxuosos e, certamente, os melhores da cidade. Não espere gastar menos de US$ 400 por noite. Os grandes tenistas costumam ficar sempre em hotéis vizinhos ao parque. Há ótimos lugares também em Mid Town e no Lower West Side (lado oeste baixo da ilha). Se quiser algo mais rústico, mas ainda assim bom, tente o Upper West Side. Você vai se sentir no filme West Side Story. Aí você poderá gastar bem menos em estadia, indo de US$ 150 a 300, dependendo do nível do hotel.

A grana está curta? Há diversos albergues em Nova York em que é possível alugar quartos duplos (bem modestos), por cerca de US$ 50 até 100. Se você não se importa em dividir o quarto e o banheiro com estranhos e nem liga para todos os confortos que um grande hotel pode lhe oferecer, é a melhor opção. Contudo, os melhores e mais bem localizados albergues ficam lotados rapidamente. Então, é preciso reservar com bastante antecedência.


4- Para passear
Você vai dividir seu tempo entre o torneio e a cidade de Nova York? Alguns lugares são fundamentais para visitar. O primeiro é o Empire State Building. A vista lá de cima é alucinante. Chegue cedo para não pegar tanta fila e tente comprar o ingresso antes, assim perderá menos tempo. Depois, é legal uma bela caminhada pelo Central Park, que fica cheio no verão, com gente fazendo esporte, passeando, relaxando. As crianças adoram o zoológico que fica dentro do parque. O ingresso é barato. Outro passeio gostoso em uma tarde de verão é pela ponte do Brooklin. É legal atravessá-la, mas esteja preparado para uma boa andada. Se não estiver a fim de cruzar o rio, vá até o meio da ponte, faça suas fotos e volte. Na ponta da ilha, é possível tomar um barco para ir ver a Estátua da Liberdade de perto. Se você gosta da simbologia norte-americana e ainda quer apreciar a vista de fora da cidade, é um bom passeio. Caso você esteja acompanhado dos filhos, talvez queira dar uma volta por Coney Island, na região do Brooklin.


5- Para se locomover
Os "yellow cabs" são uma febre em Nova York, mas não são baratos. O transporte público em Manhattan é fenomenal, especialmente o metrô, que atinge todas as partes da ilha e é muito fácil de usar, apesar de sempre estar bem cheio de gente. Compre os tickets recarregáveis, coloque créditos e passeie à vontade. É o jeito mais fácil de andar pela cidade. Alugar um carro nem sempre é um bom negócio, pois os estacionamentos dentro de Manhattan são muito caros e o trânsito é bastante pesado, como é de se esperar em uma metrópole.

Para ir à Flushing Meadows ver os jogos, a melhor maneira é o trem, que deve ser pego na Penn (Pensilvânia) Station. É rápido (cerca de 15/20 minutos) e seguro. Caso queria economizar alguns míseros dólares, é possível ir de metrô. A linha lilás, número 7, faz o caminho, mas é bastante demorada (por volta de 40 minutos).

#Q#

Se você gosta de programas culturais, deve visitar o Metropolitan e o MoMa (foto acima), por exemplo. Mas Nova York é um ótimo lugar para fazer compras também. As lojas de grife pipocam pelas ruas

6- Programa cultural
Pensar em Nova York é pensar na Broadway. Ir para lá e não ver um show é quase um sacrilégio. São inúmeros espetáculos grandiosos. O melhor, obviamente, é tentar comprar os ingressos com antecedência (na internet), mas é possível comprar alguns no dia do espetáculo se tiver sorte.

Caso você seja mais tradicionalista e o seu negócio não sejam os espetáculos musicais, Nova York tem o Metropolitan Art Museum, bem no meio do Central Park, com sua belíssima coleção. Do outro lado do parque, há o Museu de História Natural, excelente lugar para levar as crianças (mas os adultos

também vão se divertir). Outro museu de entretenimento é o Madame Tussaud (de cera), na Times Square. Para os apreciadores de arte, há ainda o MoMA (Museum of Modern Art) e o Guggeheim, por exemplo. Para quem gosta de concertos clássicos, há o Metropolitan Opera, mas, durante o verão são raras as apresentações. Quem gosta de ler vai delirar em Nova York. A cidade tem diversas boas livrarias. Mas, melhor ainda, sebos gigantescos, com preciosidades incríveis. Vale a pena dar uma passada por um.


7- Compras
Sim, você está nos Estados Unidos e certamente tem uma "listinha" de compras sua e de seus amigos para cumprir. Se quiser eletrônicos, há diversas lojas espalhadas pela ilha (as da Apple são famosíssimas e sempre lotadas) e uma das mais concorridas é a J&R. Se estiver atrás de equipamentos de fotografia, a B&H certamente terá o que você precisa. Fora isso, há milhares de lojas de roupa de marca e grandes lojas de departamento, como a Macy's, a Blommingdale's e outras tantas gigantescas, capazes de fazer você se perder lá dentro. Andar pela Quinta Avenida é um sonho para quem pretende consumir coisas de luxo. Há também lojas enormes de equipamentos esportivos como a Paragon Sports e Sports Authority, por exemplo, mas, quem quer coisas de tênis com um atendimento personalizado, deve procurar a Mason's Tennis. Uma dica importante para quem quer levar um souvenir do US Open: compre logo, pois as camisetas dos tamanhos mais comuns (P e M) acabam cedo, assim como os bonés, viseiras, munhequeiras e outras tantas tralhas. Se esperar para o fim do torneio, não encontrará mais nada. Dentro do complexo costuma ter lojas da Nike, Wilson, Lacoste, Polo Ralph Laurent etc. Por fim, fora de Nova York há outlets famosos, com milhares de lojas de marcas com preços incrivelmente baratos. Um dos mais conhecidos é o de Woodbury. Dá para ir de ônibus para lá, mas, às vezes, vale a pena alugar um carro por um dia e dar uma volta por lá, caso você vá encher a mala de compras.

Últimos conselhos
Tenha paciência. As filas, especialmente nos primeiros dias, são incrivelmente grandes (se quiser evitar uma das filas mais demoradas da entrada, vá sem mochila - todos com mochila são revistados e isso atrasa bastante o andamento). A massa humana é tanta que parece que impossível até mesmo caminhar. Sendo assim, quando arrumar um bom lugar para ver o jogo em uma quadra secundária (em que os assentos não são marcados), não saia de lá. E, caso não vá sair mesmo, lembre-se de levar tubos e tubos de protetor solar e água. O torneio acontece no verão e as temperaturas durante a manhã e a tarde costumam ser muito altas com um sol que castiga quem está dentro e fora da quadra. Contudo, à noite, uma brisa fria costuma bater em Flushing Meadows, portanto, é sempre bom levar um moletom ou uma blusinha, caso vá ficar para a sessão noturna.

Torneio

Artigo publicado nesta revista

Revista TÊNIS 83 · Setembro/2010 · Top 20 - as mais belas

O futuro do tênis


Assine InnerImpressaImpressaPDF/AndroidiPad/iPhone
1 ano2 anos1 ano1 ano
Edições12241212
Comprando Avulso você pagariaR$ 178,80R$ 357,60R$ 178,80R$ 178,80
Assine Agora porR$ 160,92R$ 286,08R$ 99,96R$ 99,96
Desconto
EconomizaR$ 17,88R$ 71,52R$ 78,84R$ 78,84
Parcelado sem juros no cartão de crédito 3x R$ 53,64 6x R$ 47,68
Assinando agora você GANHA também Munhequeira
O futuro do tênis

Alguns valores poderão variar dependendo da cotação do dólar



Receba o boletim Revista TÊNIS

Receba no seu email grátis destaques de conteúdo e promoções exclusivas